Membros / Amigos

Conheça mais de nossas Postagens

Research - Digite uma palavra ou assunto e Pesquise aqui no Blog

domingo, 9 de agosto de 2015

Salmo 46

"Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre os gentios; serei exaltado sobre a terra." Salmo 46:10

Salmo 46 – Deus é. Deus está. Deus faz

A maioria dos leitores das Escrituras conhece o Salmo 46. Quem nunca leu este belo Salmo?

Convido você, prezado leitor [a] a mergulhar neste Salmo comigo, e ver a profundidade que encontramos nele. Um dos “segredos” de uma boa exegese de um texto, é conhecer o sentido histórico em que o texto foi escrito. Quando sabemos o que se passava quando o texto foi escrito, falamos com muito mais propriedade e segurança, trazendo luz e entendimento aos ouvintes.

Há um consenso entre os estudiosos que este salmo serviu de inspiração para o hino “Castelo Forte é Nosso Deus”, composto por Martinho Lutero. Há uma possibilidade muito grande que o contexto histórico em que foi escrito este salmo, seja a ocasião em que Deus livrou Jerusalém dos assírios no tempo do rei Ezequias (II Rs 18-19; II Cr 32; Is 36-37). Será bastante proveitoso ler estes textos para um melhor entendimento deste salmo.

O rei Ezequias era poeta, e é possível que tenha escrito não apenas este salmo, mas também o 47 e o 48, provavelmente no mesmo contexto histórico, onde a vitória do Senhor é celebrada sobre o inimigo.


1 - Deus É nossa fortaleza – (Sl 46.1-3) – a palavra traduzida por “refúgio”, no verso 1, significa “um abrigo, uma rocha de refúgio”, enquanto essa mesma palavra, nos versos 7 e 11, quer dizer “um baluarte, uma torre alta, uma fortaleza”. É isso que Deus estava dizendo para o povo: “Quando o inimigo vier, Eu serei o vosso abrigo, serei uma rocha, é como se o povo, estivesse escondido dentro da rocha, num lugar inatingível!” Os dois termos declaram que Deus é um refúgio confiável para seu povo quando tudo ao seu redor parece estar desmoronado (Sl 61.3; 62.7,8; 142.5). Mas Ele não nos protege a fim de nos mimar. Não. Antes, abriga-nos a fim de nos fortalecer para que voltemos à vida com suas responsabilidades e perigos.

A palavra “tribulações” refere-se a pessoas em lugares apertados, encurraladas num canto e incapazes de sair dessa situação. Veja que estratégia maligna dos exércitos assírios, eles queriam encurralar o povo de Deus, deixarem sem recursos para uma saída. Talvez, você leitor [a] se encontra nessa mesma situação, em que o inimigo quer te encurralar, lhe deixar à mercê de seus ataques. Mas a Palavra de Deus para estas situações é: “Não temas!”. Quando os oficiais assírios ameaçaram Jerusalém, Isaías disse ao rei: “Não temas por causa das palavras que ouviste” (II Rs 19.6). Esta é a palavra de Deus para você. Talvez você não veja o livramento, tudo parece perdido, o inimigo se agiganta, mas ouça a Palavra de Deus – “não temas!” A terra pode mudar, as montanhas podem ser arremessadas violentamente no mar, podem vir terremotos e maremotos, mas todas as coisas estão sob o controle de nosso Deus. Ele é nossa fortaleza e nosso refúgio em meio às incertezas da vida.


2 - Deus Está no meio – (Sl 46.4-7) – A cena seguinte mostra Jerusalém, onde o povo encontrava-se sitiado pelo exército assírio. A água era um bem precioso na Palestina, especialmente em Jerusalém, uma das poucas cidades da Antiguidade não construída à beira de um rio. Ezequias havia usado de sabedoria e construído um sistema subterrâneo de abastecimento que ligava os mananciais de Giom, no vale de Cedrom, ao tanque de Siloé, dentro da cidade, de modo que havia água disponível (II Rs 20.20; II Cr 32.30). Que fantástico! Ezequias estava querendo dizer: “Ainda que ele [inimigo] corte nosso suprimento de água, e aí, poderia ser caracterizada a derrota do povo de Jerusalém, Ezequias diz:” Há um rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo”. O poeta sabia que Deus era o seu rio, aquele que supre a água da vida (Sl 36.8; 65.9; 87.7 e Jo 7.37-39). No tempo do rei Acaz, Isaías comparou uma invasão dos assírios a um rio transbordante, mas lembrou o povo que seu Deus era como um rio tranqüilo (Siloé) que lhes traria a paz (Is 8.1-10).

O verso 5 diz: “Deus está no meio dela” – ainda que eles estivessem encurralados, sem saída, o Deus Eterno está no meio dela. Ou seja, ninguém os derrotaria, pois Deus era aquele que comandava tudo!

Sem dúvida, Jerusalém era uma cidade santa, separada por Deus, e que abrigava seu santuário, mas isso não era garantia alguma de vitória (Jr 7.1-8). A fim de que o Senhor os ouvisse e salvasse, o rei e o povo precisavam voltar-se para o Senhor com uma atitude de contrição e fé – foi o que fizeram. Deus socorreu Jerusalém quando o dia amanheceu (“desde antemanhã”; vs 5), pois o Anjo do Senhor matou 185 mil soldados assírios e mandou Senaqueribe de volta para casa (Is 37.36).


3 - Deus faz cessar a guerra (Sl 46.8-11) – a terceira cena mostra os campos ao redor de Jerusalém, em que os soldados assírios estão mortos, suas armas e equipamentos espalhados e quebrados. Não havia ocorrido batalha alguma, mas o Anjo do Senhor deixara esses vestígios, a fim de estimular a fé do povo de Deus.

“Vinde, contemplai as obras do Senhor, que assolações efetuou na terra” (vs 8). O Senhor derrotou e desarmou seus inimigos e destruiu suas armas, de modo que não podiam mais atacar.

“Aquietai-vos” quer dizer, literalmente: “Não mexam em nada! Descansem!”. Nós gostamos de “mexer em tudo” e de dirigir nossa vida a nossa maneira, mas Deus é Deus, enquanto nós não passamos de servos do Senhor. Pelo fato de Ezequias e de seus líderes terem permitido que Deus fosse Deus, Ele os livrou de seus inimigos. Foi assim que o rei Ezequias orou: “Agora, pois, ó Senhor, nosso Deus, livra-nos das suas mãos, para que todos os reinos da terra saibam que só tu és o Senhor Deus” (II Rs 19.19).

O Senhor chama a si mesmo de “Deus de Jacó”, e lembramos como Jacó meteu-se em apuros em várias ocasiões por tentar intervir nas circunstâncias e fazer o papel de Deus. Há um momento certo para obedecer a Deus e agir, mas até que chegue essa hora, devemos deixar Ele trabalhar livremente, a seu tempo e a seu modo. Em outras palavras, deixe Deus ser Deus em sua vida.

Nele, que É , que Está, e que Faz tudo para a glória Dele


Bibliografia: Wiersbe, Warren. Comentário Bíblico. Geografia Editora 2006

Autoria do texto: Pr Marcello de Oliveira
via Davar Elohim - http://www.davarelohim.com.br/  
Aqui eu Aprendi!

18 comentários:

  1. A paz Pr Ismael marvilhoso este salmo, que Deus abençoe a vossa vida cada dia mais estou retribuindo a visita e o comentario no meu blog, Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso esse salmo recebimi bênção obrigado pr. Ismael Deus li abencoe gradiosamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus é a nossa Fortaleza! Aleluia! A Paz do Senhor irmão em Cristo, Nilson Alves.

      Deus está cuidando de ti, de nós, em todo tempo. Ele é o nosso refúgio. Aleluia!

      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
  3. Paz do senhor amado uma palavra abençoada gostei muito da forma que o espirito santo lhe conduzido com essa mensagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus seja louvado! A paz do Senhor, Andre Correa.
      Participe a vontade e exaltemos ao SENHOR!

      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
  4. a paz do senhor encontrei o blog ,amei uma benção de deus pra fazer estudos o pastor esta de parabens, que o senhor continue te abençoando, da imã em cristo auzeni victor ;



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz do Senhor irmã Auzeni Victor. Obrigado pela participação.
      Fico feliz em saber que gostou do nosso trabalho, obrigado pelo apoio e por estar fazendo parte dos seguidores do Blog.
      Deus abençoe!

      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
  5. Amei este sermão. Estava querendo justamente pregar o salmos 46.

    ResponderExcluir
  6. Miss. Edleuza Martins5 de abril de 2016 01:03

    Que benção!palavra maravilhosa para edificação das nossas vidas. Deus o abençoe Pr. Ismael

    ResponderExcluir
  7. Miss. Edleuza Martins5 de abril de 2016 01:03

    Que benção!palavra maravilhosa para edificação das nossas vidas. Deus o abençoe Pr. Ismael

    ResponderExcluir
  8. MARAVILHOSO O ESTUDO DA PALAVRA DEUS E REFUGIO Deus e bom que Deus continue abencoendo a todos vocês

    ResponderExcluir
  9. Comecei a ler este Salmos e quis me aprofundar. Fui a Internet e abri aqui. Ler a palavra de Deus já é maravilhoso, mas aprofundar-se nela, é transformador.

    ResponderExcluir
  10. A paz do Senhor aqui eu aprendi realmente!ums benção

    Att:Elionai

    ResponderExcluir
  11. Como é maravilhosa a palavra de Deus e como o Espírito Santo conduz os seus servos na interpretação. Obrigada aprendi muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz do Senhor Pra. Maria de Fatima Almeida. Obrigado pela participação, esteja a vontade em voltar a participar neste trabalho.

      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
  12. Que lindo estudo. Louvado seja o Deus Todo Poderoso!

    ResponderExcluir
  13. Lindo estudo! mas só uma pergunta meu nobre irmão... a epigrafe diz que esse samo foi escrito pelos filhos de Coré, e no estudo o senhor fala que foi Ezequias, poderia me explicar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandro Alberto, a Paz do Senhor. Sabemos que as epigrafes (na Bíblia) foram acrescidos posteriormente na separação dos textos, não faziam parte dos textos originais. O contexto dos fatos ocorridos durante o reinado do rei Ezequias, sugerem que, este cântico ou oração possa ter sido realizado (inspirado) pelo rei Ezequias e, posteriormente sido inspirado (escrito) pelos filhos de Coré. Ficando a autoria para os Filhos de Coré.

      2 Reis 19:19 “Agora, pois, ó Senhor nosso Deus, te suplico, livra-nos da sua mão; e assim saberão todos os reinos da terra que só tu és o Senhor Deus.”

      Esses adendos são para um maior conhecimento nosso e necessitam “sempre” de um estudo aprofundado comparando a oração do rei Ezequias com o cântico Salmo escrito pelos filhos de Coré.

      Inclusive, estudiosos indicam que este salmo é um cântico alegre para celebrar a vitória concedida pelo SENHOR. A tradução NVI traz no título do salmo 46: “Para o mestre da música. Dos coraítas. Para vozes agudas. Um cântico”. Alamote (1Cr 15,19-21; SI 46)
      Alamoth [hebraico] é o plural de almah, “donzela, virgem”. Talvez um coro de jovens donzelas (hebreias) cantoras, com vozes agudas ou sopranos. Quanto a 1Cr 15.20, outros eruditos dão a entender que Alamote pode simplesmente significar “vozes agudas”, quer de rapazes ou de moças que tocavam liras [nehel] acompanhando o soprano (aiamote).

      Coisas simples podem ser deixadas para cantores comuns, mas o músico mais habilidoso de Israel devia ser encarregado da execução deste cântico, com as vozes mais harmoniosas e a música mais nobre. Para os filhos de Corá, os "coraítas". Uma única pessoa não pode desempenhar o louvor; deve haver coristas selecionados sob sua direção, cujo privilégio será celebrar o culto de música na casa do Senhor.

      Aquele seleto grupo de cantores, os filhos de Corá, foi confiado esta nobre ode. Eles foram poupados quando seu pai e toda a sua companhia, e todos os filhos de seus associados, foram engolidos vivos em seu pecado (Nm 26.11). Pode-se conjeturar que depois de sua eleição admirável à misericórdia, eles se encheram tanto de gratidão que aderiram à música sacra a fim de que suas vidas poupadas pudessem ser consagradas à glória de Deus.

      Que possamos cantar com alegria ao SENHOR pela Sua misericórdia e bondade, pela Graça nos concedida.

      Confiemos no SENHOR pois só ELE é DEUS!

      “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” Romanos 11:33-36

      ...e assim aprendemos juntos! oh glória. Obrigado pela participação.

      Espero ter ajudado.
      Abraço fraterno

      Excluir

O comentário será postado assim que o autor der a aprovação.

Respeitando a liberdade de expressão e a valorização de quem expressa o seu pensamento, todas as participações no espaço reservado aos comentários deverão conter a identificação do autor do comentário.

Não serão liberados comentários, mesmo identificados, que contenham palavrões, calunias, digitações ofensivas e pejorativas, com falsidade ideológica e os que agridam a privacidade familiar.

Comentários anônimos:
Embora haja a aceitação de digitação do comentário anônimo, isso não significa que será publicado.
O administrador do blog prioriza os comentários identificados.
Os comentários anônimos passarão por criteriosa analise e, poderão ou não serem publicados.

Comentários suspeitos e/ou "spam" serão excluídos automaticamente.

Obrigado!
" Aqui eu Aprendi! "

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...